Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari atinge meta em campanha para cadastro de doadores de medula óssea


A Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari, em parceria com a equipe do Hemocentro de Uberlândia (Hemominas), realizou, no dia 16 de maio, uma campanha para cadastro de doadores de medula óssea. A coleta de sangue foi realizada por alunos dos cursos de Medicina e Farmácia e enfermeiros do Hemocentro de Uberlândia.

De acordo com a coordenadora do setor de capitação de doadores, Ludmilla Guimarães Martins, quanto maior o número de pessoas cadastradas, maior a chance de salvar a vida de um paciente que precise da doação. “A chance de encontrar um compatível fora da família é de uma para cada 100 mil e é bastante raro acontecer”, explica. Para ser doador é necessário ter entre 18 e 55 anos de idade e não possuir nenhuma doença sanguínea ou infecciosa. “Às vezes as pessoas confundem e acham que os critérios são os mesmos da doação de sangue, mas não são. Pode ser que a pessoa tenha algum fator que a impeça de ser doadora de sangue, mas ela pode se cadastrar no banco de medula”, ressalta.

A UNIPAC Araguari está promovendo a campanha pela terceira vez e conseguiu atingir a meta de cadastramento de 200 novos doadores. A estudante Sandy Freitas Oliveira, do 2º período do curso de Medicina, comenta que sempre teve vontade de colaborar com a doação de medula. “Eu nunca tive a oportunidade de doar. Agora que a UNIPAC promoveu a campanha, eu quis participar. É muito difícil conseguir um doador de medula, porque a compatibilidade é muito pequena. Às vezes eu posso ser a única no Brasil compatível com alguma pessoa que está precisando”. A agente de saúde, Jussara Lúcia de Oliveira, também se cadastrou. “É muito interessante poder ajudar. Eu já tive casos de câncer na minha família e se eu achar alguém que seja compatível irei doar com o maior prazer”, afirma.

Os doadores cadastrados no Registro Nacional de Medula Óssea (REDOME) são convocados apenas quando há um compatível. Nesse caso são realizados novos exames para verificar as condições de saúde do doador. “O banco é apenas um registro e não significa que a pessoa será chamada. Elas ficam com medo de participar da campanha porque acham que já tem que doar a medula, mas é apenas um tubinho de sangue e é uma coleta bastante rápida”, explica Mariana Menezes, enfermeira do Hemocentro.

        A Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari promove campanhas de sensibilização que visam o bem estar e a saúde de todos. Parabenizamos a equipe de alunos do curso de Medicina, a equipe do Hemocentro e os 200 participantes pela iniciativa.





















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...