Mesa de debate: Saúde Mental



No dia 19 de março de 2018, o DADG juntamente com o Núcleo de Apoio promoveram a Mesa de debate: Saúde Mental. A atividade teve como objetivo a abordagem de conflitos vividos pelos estudantes da área da saúde. 

Em um primeiro momento, tivemos a participação dos organizadores na recepção dos participantes, bem como na manutenção da ordem do evento. Além disso, a apresentação dos palestrantes, a mediação dos debates e a organização da dinâmica realizada no evento também foram papeis importantes desempenhados pelos organizadores. 

Em um segundo momento, tivemos palestras com os diferentes olhares a respeito do assunto. O aluno do 8º período de medicina, Natan Augusto Caetano de Oliveira, discorreu sobre os principais dilemas enfrentados pelos estudantes da área, entre eles, a rotina, a vida social, falta de sono e ansiedade. Logo após, deu-se início à palestra do Rodrigo Scalia Fernandes, psiquiatra, que elencou os principais fatores que impedem a busca por ajuda a partir de pessoas com sintomas depressivos ou que apresentam qualquer transtorno em sua saúde mental. Além disso, tivemos a participação da psicóloga Luísa Parreira Santos, que palestrou sobre os problemas enfrentados pelos universitários, as consequências da ansiedade e o comportamento suicida. Ademais, a última mensagem foi trazida pelo Juliano Marques, psicólogo do NAAP – Núcleo de Acessibilidade e Apoio Psicopedagógico da Imepac, que falou sobre a adesão e a procura dos estudantes por núcleos de apoio psicopedagógicos. 

Posteriormente, foi feito a divisão dos grupos de debates, os quais tinham temas específicos e eram acompanhados pelos palestrantes. Coube aos organizadores fazerem a dinâmica do grupo e controlar o tempo de debate de cada grupo. Após isso, cada palestrante relatou os principais temas elencados, trazendo a todos tudo aquilo que foi debatido em cada grupo e fazendo um fechamento do assunto abordado. Logo após, os organizadores do evento fizeram um momento dinâmico de entregas de brindes aos palestrantes e sorteio para os participantes. Em um último momento, tivemos o coffee break realizado pelos organizadores. 

Inscreveram-se 113 pessoas, e compareceram 110, sendo a maioria discentes do curso de medicina e alguns profissionais da área da saúde, que foram ouvintes nas palestras e tiveram participação ativa no debate em grupo. 

Atuaram na organização 20 pessoas. Na percepção de Amanda Reis Silva, organizadora do evento, “Foi muito gratificante ver o empenho tanto dos organizadores quanto dos alunos que se dispuseram a escutar e debater sobre um tema tão importante, conseguimos um público considerável de mais de 100 pessoas, o que foi recompensador. Além disso, foi de extrema satisfação o estreitamento das relações com outros curso da faculdade como nutrição e psicologia que presenciaram e participaram do evento. 

A mesa de debate foi muito importante devido a abrangência do tema e competência dos palestrantes. Conseguimos trazer um tema complicado, porem de imprescindível atenção, para o nosso meio através das palestras e dos debates realizados. Foi possível um conhecimento maior do acompanhamento psicológico oferecido pela faculdade através do psicólogo Juliano e também dos meios que podemos recorrer. Ademais, a experiência e pratica que adquirimos como organizadores no que tange a registros, inscrições, divulgação e coordenação foi de suma relevância para o nosso desenvolvimento acadêmico e também aprimoramento de eventos futuros da faculdade.” 

Segundo Ana Raquel Ferreira Borges, “O evento foi um sucesso, superou muito nossas expectativas, principalmente enquanto organizadores. Foram mais de 130 pessoas envolvidas, entre palestrantes e ouvintes, o que nos confirmou a importância do tema e o interesse das pessoas por ele. Convidamos palestrantes incríveis que foram muito elogiados pela forma didática que abordaram os temas e como foram pontuais, mas ao mesmo tempo ideais nas suas falas. No final tivemos a ideia de fazer grupos de debate, para que os alunos debatessem entre si. Foi muito interessante que vários alunos de expressaram, mas ainda foi percebida uma participação mais efetiva de todos, que ou por timidez, por cansaço ou falta de motivação não se pronunciaram. Já estamos ansiosos pelo próximo evento e muito satisfeitos de ver o nosso trabalho concretizado com sucesso.”














Vivência: Conhecendo o SUS



No dia 16 de março de 2018, o grupo núcleo de apoio promoveu a vivência do SUS. A atividade teve como objetivo oportunizar ao ingressante no curso de medicina um conhecimento aprofundado sobre as atenções primárias, secundárias e terciárias. Nessa perspectiva, essa experiência permitirá que o acadêmico possa pensar sobre os aspectos positivos e negativos da estrutura e gestão, para assim, ao término da graduação, melhorar os pontos fracos, amplificar os pontos fortes e, desse modo,promover um atendimento mais empático e centrado nas necessidades dos pacientes. 

Em um primeiro momento, os 25 participantes foram guiados para UBSF do bairro Gutierez onde lá conheceram a unidade, as equipes e tiveram uma explicação do funcionamento, do tipo de atenção de saúde que é prestado lá e ali puderam tirar suas dúvidas referente há esse serviço de saúde. Ali o grupo de 25 alunos se dividiram em 2 turmas e fizeram caminhos diferentes. Sendo que uma fez o trajeto policlínica, ambulatório IMEPAC, Santa Casa e UPA. A outra seguiu no sentido Ambulatório, policlínica, UPA e Santa Casa. Em todos os locais a dinâmica seguiu o mesmo esquema de aprendizagem da que foi feita na UBSF. 

Posteriormente, as duas equipes se encontram as na secretaria de saúde para o reconhecimento do local, lá além de aprenderem um pouco mais de cada setor do serviço foi aberto um espaço para que os participantes contassem um pouco mais da experiencia vivida em todos os cenários práticos visitados. Por fim dali as duas turmas seguiram pra IMEPAC onde finalizou o evento. 

Inscreveram-se 27 pessoas, e compareceram 25, sendo todos discentes do curso de medicina. O público alvo do nosso evento foi os alunos de medicina da faculdade IMEPAC, mais precisamente os alunos do primeiro e segundo períodos. 

Atuaram na organização 12 pessoas. Na percepção de Ana Raquel Ferreira Borges, a vivência foi uma experiência muito enriquecedora, ainda que eu conhecesse os locais já visitados e já tivesse organizado outra vivência no ano anterior. 

Juntamente com a professora mestre Melissa Mariane, o conselheiro da secretaria da saúde Eduardo Tadeu bem como todos os profissionais e alunos envolvidos, eu fui privilegiada com a apresentação dos locais por esses docentes que ministraram todo o percurso. Além disso, as dúvidas e pontos levantados pelos discentes participantes me fizeram refletir diferentes maneiras os conhecimentos que aprendi nos períodos anteriores já concretizados por mim, além de me possibilitar a oportunidade de poder compartilhar o pouco que sei acerca do SUS para meus colegas acompanhantes da viagem educacional. 

Acredito que eventos como esse, apesar da difícil organização são muito válidos e importantes para o nosso aprendizado e formação da nossa opinião acerca do sistema único de saúde. 

Segundo, Fernando de Andrade Pinheiro, essa vivência teve muito a acrescentar tanto no meu conhecimento de acadêmico do 6º período quanto no conhecimento dos acadêmicos do 1º período. Quando entrei na faculdade não tive a oportunidade de visitar esses locais como essa nova turma teve. Meu aprendizado da forma que de funcionamento dos locais visitados foram ministrados nas aulas de conferencia da unidade de ensino integrado Interação Comunitária. Nessa com aulas teóricas e muito menos interessante não absorvi tanto conhecimento quanto nessa ultimas visitas. Tenho certeza que toda informação recebida nesse longo dia de aprendizado valerá muito mais do aquelas passadas em sala de aula. Durante a visita de todos os locais percebi toda a turma muito interessada em aprender mais sobre o funcionamento, quais os tipos de atendimento que ali era realizado de uma forma que nenhuma sala de aula oferecerá para outro aluno. Desta forma espero que tal evento possa entra num calendário fixo para os próximos períodos iniciais pois este com certeza contribui muito para o aprendizado médico dos alunos.









VESTIBULAR MEDICINA 2018/2


Olá! Tudo bem?


Já estão abertas as inscrições para o  Vestibular Medicina 2018/2 do IMEPAC Araguari. 

Os interessados devem acessar o site imepac.edu.br e fazer a inscrição até o dia 08/05. 

As provas acontecem no dia 20/05, em Araguari, Campo Grande e Cuiabá.


Contamos com sua colaboração na divulgação do Processo Seletivo!


Confira o vídeo oficial da campanha em: https://www.youtube.com/watch?v=MULgKwv4uiY


Ah! Não esqueça de compartilhar com seus amigos! ;)

Datas da provas de 2ª chamada e recuperação 2018/2



 2ª Chamada (1ª Etapa)

· Requerimento até 04/10 (na Coordenação do curso de Medicina)

· Pagamento até 04/10

· Prova: 06/10


Avaliação de Recuperação da 1ª Etapa


·  Requerimento até 17/10 (na Coordenação do curso de Medicina)

·  Pagamento até 18/10

·  Prova: 20/10



 2ª Chamada (2ª Etapa)

· Requerimento até 06/12 (na Coordenação do curso de Medicina)

· Pagamento até 06/12

· Prova: 08/12


Avaliação de Recuperação da 2ª Etapa

· Requerimento até 12/12 (na Coordenação do curso de Medicina)

· Pagamento até 13/12

· Prova: 18/12



Informamos que não serão aceitas solicitações de provas:

- fora do prazo determinado pelo Regimento Geral que são de 02 (dois) dias úteis e letivos contados do não comparecimento;

- sem o documento legal que comprove o não comparecimento (relação de documentos consta da Resolução 01/2012).

Acesse os documentos abaixo:




Att. 
Coordenação do curso  de Medicina
Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos